Dia internacional do Slayer

A primeira vez que ouvi falar de Slayer foi na revista Metal. Lembro até hoje da foto. Lembro que tinha medo de ouvir a banda por seu teor satânico, mas isso passou. Veio então às guitarras rápidas de Kerry King e Jeff Hanneman, a técnica e rapidez de Dave Lombardo e os gritos de Tom. Que bobagem não ter ouvido os caras desde sempre, afinal era tudo que uma adolescência conturbada e infeliz precisava, de altas doses de ódio, revolta e sangue. Você compra um CD do Slayer sabendo que ele não vai te decepcionar com baladinhas ou som experimental, é porrada do começo ao fim. Nos dois últimos anos estive atenta para as mudanças da banda, principalmente o problema de Hanneman.

Jeff Hanneman, Tom Araya e Kerry King ao fundo

Jeff Hanneman, Tom Araya e Kerry King ao fundo

Em janeiro de 2011, o guitarrista contraiu Fasciite Necrosante, provavelmente por meio de uma picada de aranha. Desde então o guitarrista passou por cirurgia, enxertos de pele, e reabilitação intensa. Isso o impediu de excursionar com a banda durante dois anos. Segundo Jeff, ele estava na banheira de hidromassagem de um amigo. Em dezembro, Hanneman concebeu uma entrevista para Classic Rock, do Reino Unido:

“Eu nem senti” ele disse. “Mas uma hora depois, eu sabia que eu estava doente.” Durante o caminho para o hospital, em suas palavras “Eu podia ver a carne apodrecendo”, ele recorda. “Meu braço estava muito quente. Quando cheguei na emergência, agradeci a Deus que a enfermeira reconheceu de imediato o que era que estava acontecendo. Por coincidência, apesar de ser uma doença muito rara, ela tinha visto um caso pouco antes. Naquele momento, eu estava a uma hora da morte”.
durante esse tempo, Gary Holt do Êxodos substitui temporariamente o guitarrista.

O Slayer foi formado em Huntington Park, Califórnia em 1981. A banda foi fundada pelos guitarristas Jeff Hanneman e Kerry King. Adquiriu fama a partir de 1986, com o álbum Reign in Blood, e é considerado como parte do Big Four of Thrash: as quatro maiores bandas de thrash metal de todos os tempos, juntamente com Metallica, Megadeth e Anthrax. Prefiro pensar em cinco, mais Testament.

Acredito que era essa a foto que estava na extinta revista Metal. Da esquerda para direita: Dave Lombardo, Jeff Hanneman, Tom Araya e Kerry King, um dos pilares do thrash...

Acredito que era essa a foto que estava na extinta revista Metal. Da esquerda para direita: Dave Lombardo, Jeff Hanneman, Tom Araya e Kerry King, um dos pilares do thrash…

O estilo musical de Slayer envolve rápidos trêmulos, variados solos de guitarra, bumbo duplo na bateria e vocais pesados. As letras e arte dos álbuns se baseiam em temas como serial killers, satanismo, religião e a guerra, o que levou a gerar diversos problemas ao longo da história da banda, como proibições de álbuns, atrasos em turnês, processos judiciais, além de ser constante alvo de críticas de grupos religiosos.

Sua rapidez e poderio instrumental que combinavam hardcore punk e speed metal. Reign in Blood é o álbum mais rápido deles, gravado com uma média de 250 batidas por minuto. Já em 2001, God Hates Us All foi gravado com guitarras de 7 cordas, sendo considerado por alguns fãs como um som próximo ao nu metal.

Os solos de King e Hanneman foram categorizados como “caóticos e incrivelmente geniais”. Dave Lombardo usa dois bumbos ao invés de pedais duplos e um bumbo. A agressividade e velocidade de Lombardo fez com que ele ganhasse o título de padrinho do bumbo duplo pela revista Drummerworld, sendo este peça chave no som da banda.

Desde seu álbum de estreia em 1983, a banda lançou dois álbuns ao vivo, um box, seis videoclipes, dois EPs e onze álbuns de estúdio, cujo quatro deles receberam disco de ouro pela RIAA. A banda recebeu quatro nomeações para o Grammy, ganhando uma em 2007 para a canção “Eyes of the Insane”, e outra em 2008 para a canção “Final Six”.

Na última apresentação de Jeff com a banda, ele reclamou justamente da rapidez em que as músicas são tocadas, o que o impossibilitava de tocar boa parte delas. Como disse vinha acompanhando a melhora ou piora do guitarrista. Daí muito me surpreendeu a morte Hennamen no dia 2 de Maio de 2013. Ate mesmo os membros da banda foram pegos de surpresa.

As quatro bandas completas

As quatro bandas completas, Big Four

Mas esta não foi a única noticia ruim sobre o Slayer. A banda no inicio do ano demitiu o mitológico baterista Dave Lombardo. Pela terceira vez Lombardo é expulso da banda por motivos financeiros. Mesmo assim Dave tinha esperanças de retornar até o momento que soube pela internet que definitivamente foi substituído por Paul Bostaph.

Falando com Nikki Blank da estação de rádio 107.7 de São Francisco, Califórnia, Paul disse: “Estou empolgado por estar de volta. Já se passaram sei lá quantos anos desde a última vez que toquei com eles… Eu acho que 12 anos ou algo assim.

Tem sido muito, muito legal voltar à sala e tocar algumas das músicas. As músicas do Slayer são épicas e incríveis. Então,

tem sido ótimo. Tivemos muitos bons anos juntos quando eu estava com eles – eu me diverti muito com eles- e espero continuar tudo isso. Então espero ansiosamente”.

No site oficial da banda foi postado o seguinte anuncio:

“O Slayer está devastado em ter que informar que seu colega de banda e irmão, Jeff Hanneman, faleceu por volta de 11:00 desta manhã perto de sua casa no sul da Califórnia. Hanneman estava em um hospital da área quando sofreu insuficiência hepática. Ele deixa sua esposa, Kathy, sua irmã Kathy e seus irmãos Michael e Larry, e fará muita falta.”

A Big Four of Thrash: Dave Mustaine do Megadeth, Scott Ian do Anthrax, James Hetfield do Metallica e Kerry King do Slayer

A Big Four of Thrash: Dave Mustaine do Megadeth, Scott Ian do Anthrax, James Hetfield do Metallica e Kerry King do Slayer

Regis Tadeu fez uma homenagem ao guitarrista em seu blog;

Andre Barcinsk;

Andreas Kisser;

Vários artistas também lembraram o guitarrista, desde Slash, passando por membros do Motley Crue, Machine Head, Testament e outros.

Qual a causa da morte?

A banda postou em seu site o seguinte comunicado:

“Acabamos de saber que a causa oficial da morte de Jeff foi cirrose alcoólica. Enquanto ele lutava por sua saúde ao longo dos anos, incluindo a recente infecção denominada fasciíte necrotizante que acabou com o seu bem-estar, Jeff e pessoas próximas a ele não estavam cientes da verdadeira extensão da sua doença hepática, até os últimos dias de sua vida. Ao contrário de alguns relatos, Jeff não estava em uma lista de transplantes no momento da sua morte, ou em qualquer momento antes disso. Na verdade, por todas as contas, parecia que ele estava melhorando – ele estava animado e ansioso para trabalhar em um novo álbum”.
Para o funeral de Hanneman, uma igreja evangélica de desocupados, prometeram manifestações no local.

Mas hoje é um dia especial para os fãs da banda, é comemorado nos EUA Dia internacional do Slayer.

Seguindo a morte do guitarrista do Slayer Jeff Hanneman, os organizadores do Dia Internacional do SLAYER  – uma data comemorativa da banda que ganhou vida em 06/06/06 – anunciaram uma mudança no status da celebração deste ano, que pode se tornar o “primeiro feriado de heavy metal do mundo”.

“Com o falecimento de Jeff Hanneman, seria razoável supor que a celebração para 2013, do Dia Internacional do Slayer, fosse mais triste”, disse o porta-voz e CEO do Dia Internacional do Slayer, Jim Tate, “mas nada poderia estar mais longe da verdade.”. Ele acrescentou que o significado do Dia Internacional do Slayer vai muito além do Slayer.

Pois é, no café da manhã, no almoço e janta e mais um gole para dormir...

Pois é, no café da manhã, no almoço e janta e mais um gole para dormir…

“O mundo lá fora foi novamente forçado a contar com a gente como um movimento cultural, quando reconheceu a perda de uma das figuras mais importantes do metal, por isso seria um erro simplesmente parar com tudo. Jeff fez a música ficar mais alta e desafiadora, e nós devemos continuar a manter esse padrão na forma de comemorar e representar a comunidade”, disse Tate.

Muitos críticos veem o Slayer como uma banda de metal arquetípica por causa de sua abordagem intransigente, sua temática mitológica combinando com a tecnologia e o ocultismo, e sua perseguição sem remorso de um estilo de vida além do que a sociedade moderna considera normal. Na verdade, alguns consideram o Slayer os salvadores do heavy metal.

O CTO do Dia Internacional do Slayer, Dag Hansen, falou sobre esse ponto. “A pizza não foi inventada na Itália, restaurantes de comida chinesa foram criados em Nova York, o molho de Sri Racha foi criado na Califórnia, fornos holandeses não são holandeses e batatas fritas (french fries) não tem nenhuma relação com a França”, disse Hansen. “Nós não queremos que metal se torne uma outra cultura absorvida pela máquina de dinheiro e se transforme em uma pálida imitação de si mesmo”.

“Nós, do Dia Internacional do Slayer, pedimos que voltem a se levantar em nome do Slayer, em nome do metal, e em nome de Jeff Hanneman, e façam que o resto do planeta se lembrem que estamos aqui, e que isso não desapareça tão cedo”, disse Tate. “A boa música é heroica e imortal, e agora mais do que nunca, a música do Slayer é exatamente isso. Eles criaram hinos de batalha que muitos de nós usamos para navegar pela vida, aqueles que continuarão a depender de como os próximos dias virão a ficar cada vez mais sombrios. Nós não podemos deixar que essas obras desapareçam com o tempo. Às vezes é difícil lembrar que Slayer é composto por homens mortais como nós, mas com a dedicação adequada e boa administração, suas obras podem durar milhares de anos e se juntar às fileiras de mestres como Beethoven e Wagner. Isto é o que devemos nos esforçar para fazer, insistindo em bandas como o Slayer, para nós e para as futuras gerações”.

Lembrando a todos os leitores que assim como todos os anos, este ano o Dia Internacional do Slayer será na mesma data, com a mesma agenda. “Junte-se a nós. Nunca é tarde demais para fazer sua voz ser ouvida. O metal é a missão, o Slayer é a nossa arma. No dia 06 de junho, fique conosco para celebrarmos o tanto quanto pudermos”, disse Tate.

“Não vão trabalhar, ouçam SLAYER!”

Capa lindona em homenagem a Jeff Hanneman.

Capa lindona em homenagem a Jeff Hanneman. “O palco ficou um pouco mais escuro“. Dave Mustaine

Categoria: Espaço Carmen Miranda Subcategoria: Sabra Cadabra Sobre: Heavy Metal

Categoria: Espaço Carmen Miranda
Subcategoria: Sabra Cadabra
Sobre: Heavy Metal

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s