Fantasmas Solitários

Sabe-se logo de inicio que Augusto, personagem principal do livro Passa lá em casa, é apaixonado por desenhos. Em um dos primeiros trechos do livro encontramos ele assistindo o desenho O porco, o espinho e o dedo, dublado pelo seu amigo de infância Ananias. O texto é precedido por uma frase de Lucy do Peanuts sobre amor e chocolate. Antes,

Se for humano, pode entrar! Se for fantasma, atravesse a porta! Mickey e Os Sete Fantasmas - Almanaque Disney nº 118

Se for humano, pode entrar! Se for fantasma, atravesse a porta!
Mickey e Os Sete Fantasmas – Almanaque Disney nº 118

numa espécie de carta aberta ao leitor ele relata um acontecimento de infância, em que, se não fosse pelo Scooby Doo, não teria salvo a vida de uma menina. Lembra-se da coleção de gibis que ganhou do pai em seu leito de morte.
“Uma das coisas que ele disse foi justamente em criar um mundo para onde eu pudesse correr e viver outra vida. Eu corri para a Casa dos Sete Fantasmas. História criada por Floyd Gottfredson em 1936. A derradeira história que ele leu para mim. Dele herdei uma respeitável coleção de gibis Disney e comprei outros tantos. Minha bolha. Eu ligava a TV e assistia Snoopy, minha bolha. Assistia o que passei a chamar de Lado B Hanna-Barbera, que ia de Brasinhas do espaço, passando por Urso do cabelo duro e Os Muzzarelas. Scooby Doo, Os Jetsons e Josie e as Gatinhas. Isso sim é a mais pura Bolha psicodélica”.
Com os amigos Ananias e Adamastor, eles acabam questionando se um homem adulto, em torno dos 40 anos, deve ou não assistir desenhos e se deliciar, ele come chocolates enquanto assiste, ler gibis e conversar com uma vampira se ela prefere as historias de detetives.
Floyd Gottfredson foi o grande responsável pela transformação do Mickey num rato aventureiro. Até então ele não passava de um ratinho metido em confusões. Em meados da década de 30 ele parou de beber, fumar e abriu uma agência de detetives.

Caminha sem se mover, fala com quem não está... Já descobri a resposta... É sonhar!

Caminha sem se mover, fala com quem não está…
Já descobri a resposta… É sonhar! – Clássicos da literatura Disney

Quando meus irmãos e eu descobrimos Mickey, ele já estava consolidado pelas mais variadas aventuras idealizadas pelas mentes criativas dos desenhistas da Disney. Com ele vieram os vilões, Mancha negra, João Bafo-de-onça, Dr. Estigma, Professor Gavião dentre outros. Mergulhar nas estórias e ser levado para um mundo totalmente oposto

Sempre há um novo arco-íris - Tio Patinhas Desenho de Carl Barks

Sempre há um novo arco-íris – Tio Patinhas
Desenho de Carl Barks

daquele que vivíamos foi para nós um amortecedor e catalisador daquilo que viríamos a ser. Fala-se que a leitura pode levar a qualquer lugar, podemos dizer que em nossa infância e adolescência levamos isso muito a sério. Paralelamente, assistíamos: Hanna-Barbera e aqueles filmes japoneses tipo Jaspion e Robô Gigante, mas disso falamos depois.
A história que mais marcou nossa infância foi Mickey e Os sete fantasmas, às vezes também conhecido como A casa dos sete fantasmas. teve sua primeira publicação no dia 10 de Agosto de 1936 em 96 tiras diárias no Daily strips USA. O roteiro ficou por conta de Ted Osborne, desenho e trama por Floyd Gottfredson. No ano de 1937 o desenho Fantasmas solitários (Lonesome Ghosts) estreia e tem base na H.Q, porém com algumas modificações. Nesse caso quem contrata a agencia de detetives são os próprios e entediados fantasmas. Em Agosto de 1949 o tema é retomado com os desenhos de Dick Moores e é publicado com o nome “A casa dos sete fantasmas”. Há 25 anos esse gibi está em nossa estante do qual foi lido dezenas e dezenas de vezes. Neste exato momento minha sobrinha de seis anos, Milena lê a estória para sua avó, minha mãe.
Augusto, o personagem, também é fã do trabalho de Floyd Gottfredson e ganha de aniversário de uma princesa babilônica, um desenho autografado pelo mestre logo depois de ver seus amigos Ananias e Adamastor serem decapitados pela deusa Kali. Zípora, a djim, restitui a vida aos gêmeos logo em seguida.

Querem-Hapuc também é fã de gibis, quando Augusto foi visita-la ele levou um gibi.
“Uma biblioteca com uma coleção invejável de literatura árabe e gibis”.

Não falei que tô apaixonado por ela, simplesmente disse que gosto muito do chão que ela pisa - Linus Peanuts

Não falei que tô apaixonado por ela, simplesmente disse que gosto muito do chão que ela pisa – Linus Peanuts

Bom dia... sou nova nesta escola... devo agora me apresentar... meu nome é Pudim de Tapioca. Com o meu nome os cabelos loiros e o meu sorriso, meu pai disse que podemos ganhar um milhão de dólares

Bom dia… sou nova nesta escola… devo agora me apresentar… meu nome é Pudim de Tapioca. Com o meu nome os cabelos loiros e o meu sorriso, meu pai disse que podemos ganhar um milhão de dólares – Peanuts

Tudo que você realmente precisa é amor, e um pouco de chocolate - Lucy Peanuts

Tudo que você realmente precisa é amor, e um pouco de chocolate – Lucy Peanuts

É claro que Querem-Hapuc soube consternada que num passado não muito distante os quadrinhos Disney quase foram levados a extinção. Augusto relatava seus dias de angustia e trevas ainda consternado. Mas passou.

Atenção amantes dos quadrinhos Disney, uni-vos!

A ifritah mostrou para Augusto em uma fina nevoa que a coleção de Carl Barks voltaria em 2014 trazendo severas discussões entre conservadores e aqueles que exigiam material novo.
Querem-Hapuc se abastecia com material europeu, mas ficou encantada com o brasileiro. Comprou todos, ou melhor, fez a djim abarrotar uma das suítes de gibis.
Se for fantasma atravesse a porta…
Levy diz para Augusto que há um espectro em seu novo filme. Augusto sabe que há.
“Haahh! Quanta saudade Scooby! Daquelas tardes depois da escola, em que chegava em casa e nem tirava o uniforme e o almoço ficava pra depois. Ligava a TV e se acomodava na poltrona para assistir ao Zé Colméia e Catatau, Plic, Ploc e Chuvisco, Manda-Chuva e sua turma, Pepe Legal e Babalu, Penélope Charmosa”.
Em uma dessas feiras de design que tem espalhadas pelo Brasil a arquiteta, personagem do livro, leva seu bofe. Ele então personal trainer do condomínio, não tem pudores de trepar com qualquer um que acene uma bandeira. Pois é justamente na feira que trepa com dois homens e depois a própria arquiteta recebe seu quinhão no rabo. O trecho é precedido pela frase tirada do desenho Os Herculoides, não por acaso.
O que posso dizer disso?
Se por um lado éramos devotos da “narrativa” Disney, na imagem em movimento nosso negocio era Hanna Barbera. De preferência o lado B. Aqueles desenhos que passavam em “outros canais”. A psicodelia com grande apelo visual ficava evidente na van chamada Máquina Mistério e uma fome suspeita de Salsicha e Scooby. Além da influencia forte do rock e da cultura pop nos desenhos em geral feitos entre a década de 60 e 70. Assisti a um episodio d’os Jetsons há alguns dias, George aperta um botão e é inserido virtualmente no cenário do programa. Alguém já ouviu falar disso?

Josie e as gatinhas, Urso do cabelo duro, Goober e os Caçadores de Fantasmas, Carango e motoca, Os Muzzarelas…

Só sessenta minutos? Eu pensei que fosse uma hora - Tutubarão

Só sessenta minutos? Eu pensei que fosse uma hora – Tutubarão

Uma frase tão conhecida de Jonny Quest precede o trecho em que Augusto vai destruir sua empregada, Quitéria. Ela que fora transformada em vampira, Augusto lembrou que a anciã não tinha dentes. Sem questionar esse detalhe, ele sabia que tinha que destruí-la. Assim durante a madrugada adentrou no cemitério da Consolação com os apetrechos de se matar vampiros.
A caminho da morte, Augusto perde a noção de tempo no hospital. Nem mesmo sabe ao certo quem o visita. Ele tem pressa, mas não quer morrer tão jovem e de forma tão sofrida.
“Quando tudo termina? Tô agoniado”.
A ultima grande influencia de nossas vidas veio com Snoopy. A primeira vez que vi não gostei. Aquelas caras riscadas, mas…
Certa vez ouvindo pelo rádio uma entrevista de Benito di Paula,

O que um cientista pode querer com porquinhos da Índia? - Herculoides

O que um cientista pode querer com porquinhos da Índia? – Herculoides

ele conta como surgiu a música Charlie Brown. Estava hospedo numa pensão no litoral de São Paulo. Os proprietários italianos recebiam todo domingo o jornal de seu país. A família se reunia e todos morriam de rir. O cantor quis saber do que tanto riam e mostraram as tirinhas. Benito di Paula convida literalmente Charlie Brown para vir ao Brasil, afinal ainda não havia tradução para suas estórias por aqui. Assim nasce um de seus maiores sucessos dos quadrinhos.
Já muito doente, Augusto é desafiado para uma adivinhação. As três tias admiradas não se conformam dele ter acertado sem titubear. Vão atrás da resposta na HQ que ele estava lendo. Justo naquela hora em meio a leitura ele, e Linus conhecem uma garotinha chamada Pudim de Tapioca.
Sobre Peanuts, Charles Schulz disse que o desenho não era destinado ao publico infantil e que isso foi um acidente. Com melancolia e toda crise existencial que cerca a personagem, dono do Snoopy, fica difícil explicar o fascínio que ele exerceu e exerce sobre adultos e crianças.

Surge no ar um magnífico avião a jato, levando em seu interior nossos heróis: Jonny Quest, Dr. Benton Quest, Roger “Race”Banon, Hadji e Bandit - Jonny Quest

Surge no ar um magnífico avião a jato, levando em seu interior nossos heróis: Jonny Quest, Dr. Benton Quest, Roger “Race”Banon, Hadji e Bandit – Jonny Quest

Quando Augusto foi comprar seu luxuoso apartamento levou consigo os gêmeos, Ananias e Adamastor. Na brincadeira Augusto era o mordomo dos dois. De longe morria de rir da interação dos irmãos com a corretora. Era uma brincadeira? Uma confusão que eles fazem no apartamento modelo ou nada disso existiu?
Para finalizar a participação desses três desenhistas termino com uma frase de Tio Patinhas. Augusto está morto há algum tempo e é Parada gay e um anjo displicente esquece-se de quem deveria guardar e terá que responder por esse suicídio.
Somos 5 irmãos, Eleutério, Maurício, Marlúcia e Késia. Eu sou Fernanda, a mais velha, e espero que nos vejamos muito por aqui. O sexto fantasma será um convidado, e o sétimo, adivinha.

Categoria: KiSuco Sobre: Gibis, HQ, Mangás, Desenhos animados, Programas infantis, Brinquedos

Categoria: KiSuco
Sobre: Gibis, HQ, Mangás, Desenhos animados, Programas infantis, Brinquedos

Minha mãe explica para Milena o que é contrabando…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s