Uma longa jornada

A camada nebulosa também pode ser a chave para entender a cor vermelha da superfície de Plutão. Cientistas atmosféricos acreditam que partículas de metano presentes na atmosfera de Plutão são bombardeadas por raios ultravioleta, formando outros compostos como etileno e acetileno, que finalmente geram hidrocarbonetos de cor vermelha

A camada nebulosa também pode ser a chave para entender a cor vermelha da superfície de Plutão. Cientistas atmosféricos acreditam que partículas de metano presentes na atmosfera de Plutão são bombardeadas por raios ultravioleta, formando outros compostos como etileno e acetileno, que finalmente geram hidrocarbonetos de cor vermelha

Não sei se em algum momento desse blog falei de astronomia. Para mim não serve “antes tarde que nunca”, pois sim, era para já ter falado há muito sobre o tema. Se já falei, ótimo.

Vamos começar pequeno, por Plutão que é o único planeta do Sistema Solar que tem atmosfera, porém ela é altamente toxica.

O Planeta leva 248 dias terrestres para orbitar o Sol.

Enquanto na Terra a luz solar leva em média 8 minutos para chegar, ela leva 5 horas para chegar em Plutão.

Você não veria estrelas no céu de Plutão, ele é menor que a Lua e sua atmosfera chega a circunferência da Terra tornando o Planeta escuro.

No dia 14 de julho de 2015 às 7h49 horário de Brasília, como muitos sabem, a sonda New Horizons entrou na órbita do planetoide.

Amplie a imagem para ver o trageto de 9,5 anos da sonda New Horizons.

Na verdade Plutão faz parte de um sistema binário de planetas. Plutão e aquele que muitos acham ser seu satélite natural, no caso Caronte. Com tamanhos semelhantes os dois orbitam o mesmo centro gravitacional.

Ao longo de 10 anos o satélite Hubble descobriu 4 minúsculas “luas”, ou satélites naturais que orbita esse sistema binário – Styx, Nix, Kerberos e Hydra.

ilustracao com a visão a partir do Sol para Plutão e seus satélites. Fonte: Instituto SETI NASA

Ilustração com a visão a partir do Sol para Plutão e seus satélites. Fonte: Instituto SETI NASA

Segundo observações feitas a partir de fotografias, “Nix e Hydra parecem ter uma superfície brilhante como Caronte, enquanto Kerberos é muito mais escura, levantando questões sobre a forma como o sistema plutoniano foi formado”. Nessa pesquisa compara a formação de dois dos satélites a formação Terra-Lua. Uma das teorias sobre nosso Planeta é da colisão de um planeta na mesma orbita chamado Theia, ou como o estudo citado acima feito pelo  Instituto SETI (Search for Extraterrestrial Intelligence) na Califórnia, de que um meteorito teria colidido com os planetas, no caso Terra e Plutão, e seus detritos formados os satélites, Nix-Hydra-Lua.

A Hipótese do grande impacto (em inglês Giant impact hypothesis ou Big Splash) é uma hipótese astronómica que postula a formação da Lua através do impacto de um planeta com aproximadamente o tamanho de Marte, conhecido como Theia

A Hipótese do grande impacto (em inglês Giant impact hypothesis ou Big Splash) é uma hipótese astronômica que postula a formação da Lua através do impacto de um planeta com aproximadamente o tamanho de Marte, conhecido como Theia

Tal sistema é percebido entre os satélites de Júpiter, Io, Europa e Ganimedes. Esse é um dos mistérios que a sonda New Horizons terá pela frente até para entendermos melhor a formação Terra-Lua. Essa é um dos fatores mais importantes da chegada da sonda a Plutão. Além de examinar sua composição, substancias químicas, atmosfera, enviará medições e fotos para a Terra que levarão ao menos 16 meses para chegar. Uma das primeiras informações a chegar é sobre o diâmetro do planeta que é maior do que se imaginava.

2.274 km de diâmetro? Corrigindo: diâmetro de 2.370 km

2.274 km de diâmetro? Corrigindo: diâmetro de 2.370 km

E o que a sonda leva a bordo?

Segundo a BBC leva:

Parte das cinzas de Clyde Tombaugh, que descobriu Plutão, em 1930, está a bordo da sonda

Parte das cinzas de Clyde Tombaugh, que descobriu Plutão, em 1930, está a bordo da sonda

Sete instrumentos que não apenas servem para investigar detalhes do planeta – como do que é feita a atmosfera -, mas também servem de backup caso haja falhas.

Além do mais, a sonda leva uma grande quantidade de “coisas inúteis”, segundo Jim Green, diretor de Ciências Planetária da Nasa.

A esposa de Walt Disney sugeriu uma mudança de nome, ele chamava Rover, para o recém descoberto de Plutão.

A esposa de Walt Disney sugeriu uma mudança de nome para o mascote do Mickey, ele chamava Rover, para o recém descoberto Plutão

Na lista, há coisas como um CD com o nome de 434 mil pessoas que responderam a um pedido de “Envie seu nome para Plutão”, além de algumas moedas e um selo americano de 1991 onde se lê “Plutão: ainda inexplorado”.

O mais curioso, no entanto, talvez seja uma urna com cinzas de Clyde Tombaugh, o homem que descobriu a existência de Plutão, há 85 anos.

Plutão é o mais luminoso dos planetas, desculpa por ainda usar a terminologia planeta, mas é assim que o vejo…

No dia 24 de julho a sonda enviou uma imagem mostrando o planeta-anão frente ao Sol e uma névoa se projetou 130 km acima de sua superfície, deixando os cientistas maravilhados. Outra descoberta é a longa cauda de plasma formada íons de nitrogênio o que não é novidade já que Marte e Vênus tem caudas plasmáticas assim como Júpiter e Netuno tem anéis. A cauda de Plutão pode se estender por 77.000 a 109.000 km segundo cientistas da Universidade de Colorado, EUA.

Setembro

O tempo de transmissão dos dados de Plutão até a Nasa, nos Estados Unidos, é de quatro horas e meia

O tempo de transmissão dos dados de Plutão até a Nasa, nos Estados Unidos, é de quatro horas e meia

New Horizons segue em destino da Rocha 2014 MU69 situada a 1600 milhões de quilômetros de Plutão. A Rocha está no Cinturão de Kuiper onde pela primeira vez uma nave irá explorar essa zona do Sistema Solar. Dentre uma série de 4 manobras para se chegar ao destino principal, e você pensou que fosse Plutão, um será escolhido entre outubro e novembro.

Os cientistas esperam que a Sonda New Horizons chegue ao seu real destino em 2019.

Categoria: Fêmur de Nefilim Sobre: Ciências naturais, Ciências especulativas Imagem em destaque: Hoje vendo umas fotos no site da NASA, essa foto me deu inspiração para esse post

Categoria: Fêmur de Nefilim
Sobre: Ciências naturais, Ciências especulativas
Imagem em destaque: Hoje vendo algumas fotos no site da NASA, essa foi uma das que me deu inspiração para esse post

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s