E Lemmy finalmente se foi…

lemmy-kilmister-vocalista-e-baixista-do-motorhead-1945-2015-1451386330375_956x500Enfim, aconteceu. Lemmy se foi.

Relatos de amigos muito próximos dizem que um dia depois do Natal ele recebeu a notícia de que tinha um câncer muito agressivo. Tenho certeza absoluta que ele disse a si mesmo: “ah, foda-se! Agora chega! Não vou aguentar mais esta merda. Para mim, deu…” e, durante três dias, ele deu a ordem ao seu corpo: pare de funcionar! E Lemmy era tão poderoso que seu próprio corpo não teve coragem de contrariá-lo.

Meses atrás eu escrevi um artigo – que você pode ler aqui -, antecipando-me em homenageá-lo. Em vida. Não agora, em que as redes sociais estão congestionadas por pêsames e lamentações que o próprio Lemmy daria risadas. Na época em que escrevi o texto, muita gente me xingou pela ousadia de dizer aquilo que ninguém queria acreditar. Hoje, recebo de volta o reconhecimento por ter tido a coragem de expor a verdade do que estava acontecendo com ele por intermédio de um monte de gente relembrando este texto nas mesmíssimas redes sociais. Para outras pessoas, seria uma bela “lambida no ego”. Para mim, isto não tem a menor importância. O que penso neste exato momento é que Lemmy se foi e ficamos privados de ouvir novamente a voz de Deus caso Ele fosse chegado em um litro de uísque e dois maços de cigarro todo santo dia.

Como prometi anteriormente no texto que escrevi, não vou homenageá-lo agora que ele morreu. Já fiz isto enquanto ele estava vivo. Quero acreditar que ele agora está aqui ao meu lado, com um copo de Jack Daniels e Coca-Cola em uma mão, um cigarro na outra, com as indefectíveis botas brancas e jaqueta de couro surrada, dizendo em meu ouvido “Viu como vale a pena ser genuíno, cagar e andar para o que as pessoas pensam ou esperam de você e viver do jeito que se deve?”

Sempre foi divertido pensar que Lemmy, Keith Richards, Ozzy Osbourne e Iggy Pop seriam os únicos a pisar nas baratas sobreviventes a uma hecatombe nuclear que mataria a todos nós, menos a eles. Hoje isto não é mais engraçado. Nenhum deles é imortal. Um dia, estaremos aqui lamentando a partida de cada um. Que pena…

Deixa eu tomar o meu “Jack ‘n’ Coke” agora. Saúde, Lemmy!

Categoria: Espaço Carmen Miranda Subcategoria: Sabra Cadabra Sobre: Heavy Metal Fonte: Regis Tadeu

Categoria: Espaço Carmen Miranda
Subcategoria: Sabra Cadabra
Sobre: Heavy Metal
Fonte: Regis Tadeu

 

Anúncios