Nota
Umberto Eco caminha diante da estante de livros em sua casa. / ROBERTO MAGLIOZZI

Umberto Eco caminha diante da estante de livros em sua casa. / ROBERTO MAGLIOZZI

Nascimento: 5 de janeiro de 1932, Alexandria, Itália

Falecimento: 19 de fevereiro de 2016, Milão, Itália

Depois de tudo que disse de mau sobre o jornalismo, a existência da imprensa ainda é uma garantia de democracia, de liberdade, porque especialmente a pluralidade dos jornais exerce uma função de controle. Mas, para não morrer, o jornal tem que saber mudar e se adaptar. Não pode se limitar apenas a falar do mundo, uma vez que disso a televisão já fala. Já disse: tem que opinar muito mais sobre o mundo virtual. Um jornal que soubesse analisar e criticar o que aparece na Internet hoje teria uma função, e até um rapaz ou uma moça jovem leriam para entender se o que encontraram online é verdadeiro ou falso. Por outro lado, acho que o jornal ainda funciona como se a Internet não existisse. Se olhar o jornal de hoje, no máximo encontrará uma ou duas notícias que falam da Internet. É como se as rotativas nunca se ocupassem de sua maior adversária! As redes sociais deram voz a uma legião de imbecis.

Categoria: Tia Evanilde Sobre: Literatura e livros Fonte: El País Brasil

Categoria: Tia Evanilde
Sobre: Literatura e livros
Fonte: El País Brasil

“As redes sociais deram voz a uma legião de imbecis.” – Umberto Eco

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s